1. >Blogue
  2. >Tudo o que temos de saber sobre o desperdício alimentar

1.300 Milhões de toneladas por ano: esse é o peso dos desperdícios alimentares cada ano no mundo, ou seja 41 toneladas cada segundo. No lugar de trabalho, de produção ou em casa, temos a obrigação de reduzir os desperdícios! Descubra quais são as normas de boas práticas que a Bonduelle recomenda para reutilizar 100 % dos legumes e contribuir para a redução dos desperdícios, sem sair de casa.

Bons hábitos

Comprar apenas a quantidade necessária, verificar sempre a data de validade... São hábitos a fomentar, tanto por parte do produtor, como por parte do consumidor, para conseguir uma mudança visível. Se a embalagem indicar o número de porções a que o produto se destina, como Bonduelle faz nas suas etiquetas, é possível ajustar a quantidade que compramos. Da mesma forma, diferenciar corretamente entre a data de validade, a data preferível de consumo e a data de consumo recomendada permite-nos consumir o produto no melhor estado e evitar que acabe no lixo por excesso de precaução. É importante embalar os restos de forma correta (em recipientes herméticos ou a vácuo) para os poder apreciar na cozinha durante mais tempo. Podem ser usados, por exemplo, para fazer croquetes de legumes, pesto, sopa ou até empadas com os restos de salada embalada. As ervilhas e as peles dos legumes podem dar pratos deliciosos quando lhes damos uma segunda vida. Há imensas receitas e truques que podemos experimentar.

 

E no caso de ser produtor?

O objetivo da Bonduelle é aproveitar a totalidade das colheitas. Obviamente, nem todos os legumes alcançam as condições próprias para o consumo. Durante o processo de produção, perde-se sempre uma pequena parte sob a forma de resíduos alimentares, ou por serem produtos perecíveis e também devido aos controlos rigorosos a que são sujeitos. Então, como podemos reduzir o desperdício? 

Alguns produtos não classificados podem ser transformados em ingredientes para outras receitas, tal como fazemos em casa. As partes não comestíveis dos legumes ou dos produtos considerados não conformes são transformadas em composto. Desta forma, o que a terra dá regressa à terra, para a fertilizar. É assim que a fábrica de Saint-Benoist-sur-Vanne transforma todos os meses cinco toneladas de produtos em composto. Também existem fábricas que, juntamente com os seus parceiros comerciais, transformam as peles e cascas em energia, sob a forma de biogás. E assim se fecha o círculo, que começa no campo e acaba na mesa.

 

Siga-nos